Home Geral Alzheimer: suavizando a transição no dia da mudança

Alzheimer: suavizando a transição no dia da mudança

0
2

Alzheimer: suavizando a transição no dia da mudança

Mover um ente querido com Alzheimer para uma nova casa ou instalação é uma tarefa assustadora. Aqui está uma ajuda para planejar com antecedência.

Pela equipe da Mayo Clinic

Mudar de uma casa para outra nunca é fácil. Para uma pessoa com doença de Alzheimer ou outro distúrbio que causa demência, mudar a rotina e mudar para um ambiente novo ou desconhecido pode ser especialmente estressante.

Se você está ajudando alguém com demência a se mudar para sua casa ou um centro de saúde, descubra como fazer a transição o mais confortável possível.

Planejar com antecedência

Se possível, converse com a pessoa com demência sobre as preferências de moradia enquanto ela ainda pode fazer escolhas razoáveis.

Ao planejar a mudança, seja honesto com a pessoa e forneça todas as informações apropriadas. Você pode permitir que a pessoa faça algumas escolhas no processo. Se a pessoa ficar com raiva ou resistir, peça ajuda a outros cuidadores, familiares e ao profissional de saúde da pessoa para explicar a importância da mudança.

Se a pessoa com demência vai se mudar para sua casa, discuta com outros membros da família como vocês vão lidar com as despesas, bem como com o compromisso de tempo. Esteja preparado para fazer alterações em sua rotina para prestar atendimento e levar a pessoa às consultas médicas. Também é importante pensar em como tornar sua casa segura para a pessoa com demência.

Se a pessoa com demência for se mudar para um estabelecimento de cuidados, converse com a equipe sobre a história da pessoa, hobbies, interesses e quaisquer necessidades especiais. Forneça o histórico médico e de saúde mental da pessoa, incluindo uma lista detalhada de medicamentos.

Adicione toques familiares

Antes da mudança, faça com que o novo cômodo ou espaço da pessoa pareça e seja o mais familiar possível. Decore a área com uma cadeira favorita ou outros bens significativos. Pertences familiares podem desencadear sentimentos de conexão e propriedade, bem como aumentar a sensação de segurança da pessoa.

Abasteça o espaço com fotos de entes queridos e amigos ou álbuns de fotos. Toque música favorita ou familiar. Relembrar o passado pode ajudar uma pessoa com demência a trazer lembranças tranquilizadoras para o presente.

O grande dia

No dia da mudança, siga a rotina normal da pessoa o máximo possível. Se você puder, faça a mudança durante o melhor horário do dia para a pessoa – seja de manhã ou à tarde. Ou você pode considerar pedir a amigos ou familiares que levem a pessoa para passear o dia para que você possa concluir a mudança.

Enquanto você está se movendo, faça o possível para permanecer positivo. Tente não discutir com a pessoa por que ela precisa se mudar. Sua atitude pode ajudar a pessoa com demência a se sentir segura e protegida no novo ambiente.

Se a pessoa está se mudando para uma instituição de cuidados, uma vez que a pessoa esteja instalada, confie na equipe para ajudar com o próximo grande passo – sua partida. Em vez de fazer alarde sobre sua saída, a equipe pode envolver a pessoa em uma atividade significativa enquanto você se afasta.

Deixar uma pessoa com demência em um centro de saúde pode ser difícil para você – tanto no dia da mudança quanto nas semanas e meses seguintes. Sentimentos de tristeza, perda, alívio e culpa são normais. Certifique-se de ter alguém para apoiá-lo no dia da mudança. Uma assistente social pode ajudar.

Pode levar algum tempo para a pessoa com demência se acostumar com seu novo estilo de vida. Seja paciente. Se a pessoa morar em sua casa, diga a ela que está feliz com a mudança, pois isso significa passar mais tempo juntos. Se a pessoa estiver morando em uma instituição de cuidados, visite com frequência e incentive amigos e familiares a fazerem o mesmo. Cuidado e atenção extras podem ajudar a tornar o novo lugar um lar.

.

Fonte: www.mayoclinic.org

Deixe uma resposta